Depressão

Considerada o mal do século, sendo doença que pode ser confundida com a tristeza, porém, esta última é um estado passageiro que causa sofrimento, mas é seguida de um acontecimento pontual. Já os quadros depressivos são estados de intenso sofrimento.

 

Em quadros depressivos severos estão presentes a ausência ou a fome excessiva, a dificuldade para levantar e executar tarefas, tomar decisões, ideias suicidas e dificuldades em relação ao sono. A pessoa não consegue se concentrar e muito menos enxergar saída para o estado em que se encontra, sendo necessário em casos extremados a presença de outras pessoas para lhe estimular e impedir que atente contra a própria vida.

 

Por outro lado, a depressão também está presente no indivíduo que mantem sua aparência pessoal dentro daquilo que sempre fez. Dá conta das suas demandas, obtém alguns resultados favoráveis no trabalho, sem grandes prejuízos nas relações sociais, porém, existe um grau profundo de insatisfação interna em sua vida pessoal onde não há explicação plausível para o sofrimento.

Bipolaridade

O mundo científico tem se debruçado no estudo do Transtorno Bipolar e muitos avanços tem conseguido no intuito de entender e formular as características da doença, proporcionando o caminho para um diagnóstico capaz de ajudar ao portador do transtorno e todos os que estão ao seu redor.

A bipolaridade consiste num desequilíbrio químico nos neurotransmissores, é doença crônica, que necessita terapia medicamentosa e terapia verbal, psicoterapia, para ajudar na identificação e reconhecimento dos sintomas maníacos ou depressivos.

No curso da doença o sofrimento vai de um estado de euforia e excitabilidade muito grande, mania, para períodos de profunda depressão, numa variação do humor que pode ocorrer durante um dia, ou horas.

Na mania, a pessoa se acredita com super poderes, autoestima elevada, falta de controle para gastos financeiros é guiada pela distração, se comporta de forma precipitada, mantém comportamento sexual de risco e afasta-se dos familiares.

Nos episódios de depressão profunda, aparece irritabilidade, redução no interesse por atividades, perda ou ganho de peso, dificuldades no sono, o comportamento pode ser agitado ou lento, fadiga, dificuldades de raciocínio e concentração, frequentes pensamentos de morte e suicídio.

É doença incurável com prognóstico negativo de incurabilidade, mas que diante da terapia verbal e medicamentosa é possível obter boa qualidade de vida.

Tratamentos

Terapia

"Não importa o diagnóstico, ele são apenas um norteador que auxilia o tratamento.

 

Na psicoterapia buscamos respostas para o sofrimento, no intuito de modificar comportamentos, crenças e pensamentos automáticos.

 

Alcançar espaços psíquicos saldáveis é uma forma de trazer novas construções mentais que proporcionam melhor qualidade de vida. Sendo assim, aprendemos outra forma de nos relacionar conosco e consequente melhoria na relação com os outros.

Ansiedade

A ansiedade é um estado, uma emoção, necessária ao bem viver de uma pessoa, e costuma se apresentar em situações de perigo, pois vai ser o alerta que soa, dizendo fica, ou foge daqui. Ela traz prejuízos quando não há controle, provocando profunda excitação ou mesmo desconfortos físicos como suores, palpitação, enjoo e tantos outros.

Em quadros de ansiedade a pessoa apresenta preocupações excessivas e intensas e sente medo de situações do cotidiano. A respiração é alterada por um ritmo rápido, acompanhada de muito cansaço que irá interferir nas tarefas diárias, bem como, a frequência cardíaca pode se elevar, aparecendo taquicardia. Não raro a sudorese acompanha todo este quadro de sintomas, provocando ainda maior desconforto, na medida que deixam as roupas molhadas.

A ansiedade traz prejuízos sociais e relacionais, pois não raro impede de falar em público, ou mesmo, cria obstáculos para manter uma conversa com alguém considerado superior, ou ainda, no exemplo de quando precisamos apresentar um trabalho, que foi feito um bom estudo, preparado adequadamente, e a pessoa é prejudicada por seu comportamento ansioso e destrutivo que lhe impele a fugir do alvo traçado, pois a situação é sentida como ameaçadora e incontrolável.

No mundo moderno são inúmeras as preocupações com filhos, trabalho, aquisições, ser assaltado, funcionando como pressões que colaboram na formação de estados ansiosos.

Transtornos Alimentares

Os transtornos alimentares podem se transformar em doenças que possuem múltiplos fatores, como a Bulimia que é o comer em excesso, seguida da “fome para engolir um boi” ou ainda, a anorexia, onde a magreza absurda é distorcida, por uma imagem de si mesmo, numa visão de gordura em excesso.

 

O mundo moderno em muito corrobora para estas disfunções, na medida em que temos agendas lotadas de compromissos, ou mesmo, nos inclinamos por alimentos ditos mais práticos, os fast food e outros industrializados, que demandam em pouco tempo para consumi-los.

 

As emoções não identificadas, a dificuldade para lidar e perceber o que estamos sentindo, podem ser gatilhos que nos levam a comer, pois na medida que a necessidade do afeto, carinho, atenção, é substituído  por comida, passa a ser uma forma equivocada, para lidar com sentimentos, trazendo a falsa sensação de satisfação e alegria imediata, mas que na verdade não resolve o conflitiva, muito menos ajuda a encontrar a solução do que nos aflige.

Transtorno Obsessivo-Compulsivo -TOC

As compulsões interferem na vida diária de uma pessoa. É caracterizado pela recorrência de um padrão de pensamentos obsessivos que mesmo parecendo sem sentido e até algumas vezes absurdos a pessoa não consegue parar, buscando em tarefas ritualizadas o alívio. 

É doença que em muitos casos torna a pessoa incapacitada para executar funções fora da sua casa, pois o ritual com tarefas, terminam ocupando uma grande parte do dia. As pessoas que sofrem com o transtorno, sentem-se muito envergonhada por seus padrões de pensamentos e ações, o que faz com que não dividam, com ninguém, seu sofrimento e o que é pior, passam a evitar estar com outras pessoas.

Os padrões de pensamentos obsessivos aparecem em forma de ideias, ou mesmo imagens, ou até o hábito de ficar contando objetos. Estes pensamentos são percebidos pela pessoa como estranhos e sem sentido e provoca-lhes medo, angustia e aflição. Em que pese, a pessoa procura alivio nas tarefas ritualizadas, que se transformam em compulsões.

Estas compulsões ou rituais, são comportamentos a exemplo de verificar compulsivamente se portas e janelas estão fechadas, ou contar exaustivamente desenhos nas paredes, ou ainda nas calçadas pisar em um ladrilho evitando o outro. Tantas situações criadas para a busca do alívio na perturbação das obsessões.

Este transtorno é considerado doença mental grave, incurável e crônica. Seu grau de severidade torna a pessoa incapacitada e interfere em todos os aspectos da vida. Esta patologia necessita terapia verbal e medicamentosa para alivio dos sintomas.